Buscar
  • Patricia Remondini

Fobias específicas – Quando o medo se torna patológico

Quem não tem medo? O medo é uma resposta do nosso cérebro para nos proteger de situações que colocam a nossa vida em risco, sendo assim é benéfico. Porém quando o medo se torna patológico e passa a interferir na nossa vida social, profissional ou em outras áreas importantes devemos procurar ajuda.

As fobias específicas são justamente o medo ou ansiedade acerca de um objeto ou situação, por exemplo voar, altura, animais, etc. E a resposta de medo e ansiedade é desproporcional ao risco oferecido. Quando exposto a situação a pessoa tem uma resposta de medo, tanto respostas físicas como taquicardia, sudorese, respiração rápida, desconforto abdominal, dores musculares, tremor, adormecimento dos músculos, calafrios, falta de ar, dor no peito entre outros. E sintomas comportamentais como esquiva, fuga, preocupação excessiva, etc. Em crianças isso pode ser expresso por choro, ataques de raiva, imobilidade ou comportamento de agarrar-se.

Não é possível definir uma causa única para as fobias, pois cada um terá um motivo diferente e algumas vezes é difícil identificar o inicio e motivo daquela fobia. A psicoterapia ajuda muito nestes casos com técnicas específicas, procure sempre que necessário a ajuda de um profissional capacitado.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo